Brigadeiros de chocolate 70% | Enrolados

Desnecessário dizer que os filmes da Disney fizeram a minha infância. Todos eles – ou quase. Eu era do #teamprincesas, e os meus favoritos continuam sendo A Bela e a Fera e Aladdin. Há alguns anos, o estúdio andou apostando em uma reinvenção de princesas, e o fizeram sem muito sucesso em A Princesa e o Sapo, que carece de carisma – embora ter uma princesa negra já seja um sucesso por si só.

Mais recentemente, a gigante dos Estados Unidos bolou a história de princesas mais revolucionárias de todos os tempos: sim, estou falando sobre Frozen. E embora a ideia de que o amor das irmãs é o único verdadeiro e suficiente para quebrar um feitiço maligno seja maravilhosa (honestamente, maravilhosa!), não deixo de perceber algumas pequenas falhas técnicas e de roteiro na animação, que me fazem ser menos apaixonada do que o resto da população mundial, aparentemente.

Porque a minha animação favorita dessa nova onda de princesas da Disney é uma da qual ninguém fala muito, já que Frozen praticamente eclipsou tudo o que veio antes. E ela é Enrolados, a divertida e tocante história da princesa Rapunzel. Reinventada de maneira a soar mais moderna – embora se passe em uma cidade medieval –, a história conta como Rapunzel, raptada na infância por uma bruxa, foi encerrada em uma torre por causa de seu cabelo mágico (cujos poderes tanto curam quanto regeneram até mesmo a idade).

Crescendo longe da civilização, Rapunzel aprendeu a utilizar seu imenso cabelo para realizar tarefas cotidianas banais e, de quebra, tê-lo como uma arma poderosa. Um desvio na floresta leva acidentalmente o ladrão Flynn Ryder à torre da menina e um encontro ainda mais improvável. Rapunzel obriga Ryder a levá-la à cidade para conhecer as luzes que ela admira desde que é criança, em troca de devolvê-lo sua preciosa pilhagem.

O tempo que os dois passam juntos é suficiente para despertar um clima romântico. E é interessante observar a evolução dos personagens nesse sentido, já que Flynn (ou Eugene) percebe que Rapunzel, embora pareça inocente, tem uma força e determinação dignas de mulheres independentes. E a própria, apesar de amedrontada por deixar sua segura torre, mostra-se valente e capaz de lidar com qualquer situação.

Servindo como alívio cômico da metade do filme em diante, a dinâmica entre Ryder e o cavalo da guarda real Maximus é brilhante ao tratar o enorme animal como se fosse um cachorrinho carente (mas letal, quando precisa). Além disso, os personagens secundários são igualmente divertidos e assustadores, à medida em que precisam ser. Sem contar na maravilhosa fotografia, que cria cenários fabulosos – como a cena das lanternas à noite.

Com músicas igualmente divertidas e belas, cenas de luta empolgantes, e romântico na medida certa, Enrolados é, para mim, um case de sucesso da Disney quando o gênero das princesas parecia estar à sombra das eternas e submissas princesas tradicionais. Mesmo sendo uma princesa que ao final fica com o “mocinho” (o que em Frozen também acontece, diga-se de passagem), o longa já mostrava a tendência e necessidade dessas meninas de mostrarem as garras. Por tudo isso é dos meus favoritos de animação dos últimos tempos.

Para fazer jus, precisava de algo que casasse perfeitamente com esse espírito doce. Como eu sou ótima para trocadilhos, decidi fazer brigadeiros enrolados (há!), que há muito tempo não fazia. Decidi, também, que provaria os famosos brigadeiros gourmet, tão na moda por aqui. Os brigadeiros gourmet nada mais são do que os docinhos feitos com chocolate derretido, geralmente belga. Usei um Lindt inteiro de 70% e uma metade de outro (que não lembro o nome, alemão), de 74%.

A massa fica um pouquinho diferente do brigadeiro comum, e deve-se ter muito cuidado com a manteiga pois, pela minha experiência, as quantidades não são iguais. Para o brigadeiro de chocolate 70%, o ideal é uma colher de sopa rasa.

BRIGADEIROS DE CHOCOLATE 70%

rende aprox. 66 docinhos
Tempo de preparo: 10-15 minutos
Tempo de esfriamento: 30 minutos
Tempo de enrolação: 30 minutos
Tempo total: 1h10

Ingredientes

1 lata de leite condensado
1 colher (sopa), rasa, de manteiga
1 barra e meia de chocolate 70%
2 pacotes de granulado (eu usei branco e preto e de bolinhas)
1 pacote de forminhas de papel

Modo de preparo

No micro-ondas, derreta o chocolate de 30 em 30 segundos, mexendo a cada nova contagem, até que sobrem alguns pedacinhos. Misture com uma colher até derreter tudo.

Em uma panela média, coloque a lata de leite condensado e a manteiga e, em fogo baixo, misture até a manteiga derreter. Acrescente o chocolate derretido e misture bem.

Vá mexendo tanto no meio quanto nas bordas, desgrudando sempre para não queimar. Essa massa desgruda com muito mais rapidez, então mesmo depois de “pronta”, deixe no fogo por mais alguns minutos para encorpar.

Desligue o fogo e deixe esfriar até ficar quase frio. Enquanto isso, já separe os granulados em pratos fundos e separe as forminhas sobre a bandeja na qual servirá.

Quando estiver na hora de enrolar, espalhe um pouquinho de manteiga nas mãos e, com uma colher de chá, vá separando porções bem pequenas de brigadeiro, mergulhando-os no granulado e colocando nas forminhas.

Beijos, e até o próximo post!
🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s