Banana caramelizada com iogurte e granola | Tudo Pode Dar Certo

Antes mesmo de pensar em qualquer comida, estava afim de falar aqui sobre outro filme do Woody Allen. E, mais do que isso, sabia que precisava fazer o meu café da manhã: uma gororoba tão minha que não sei nem como explicar.

Pois bem, quando preparei o prato para mim, pensei que poderia falar sobre algum personagem masculino que fosse “um banana” (sim, uma comparação um pouco pífia, mas é assim que funciona). Depois de pensar em alguns besteiróis que não casavam – e, até mesmo, no personagem de Tom em 500 Dias Com Ela – o filme Tudo Pode Dar Certo, de 2009, me veio à cabeça.

E, embora não tenha um personagem masculino que se encaixasse nesse perfil de homem tonto, a personagem feminina principal é, por assim dizer, a representação perfeita dessa ideia. Mas já chego lá.

A história começa de uma maneira bem diferente até mesmo para os padrões do diretor. Conhecemos o reclamão e pessimista Boris Yellnikoff (um ótimo Larry David), um ex-professor de mecânica quântica cuja existência significa chamar a atenção dos outros para suas próprias ignorâncias.

Residindo em Nova York, largado pela ex-mulher, com a culpa de não ter conseguido se suicidar e reduzido a monólogos incessantes com qualquer um que cruze seu caminho – inclusive a audiência que o assiste, fora das telas –, Boris é pego de surpresa quando a jovem e religiosa Melody St. Ann Celestine (Evan Rachel Wood), vinda do Mississipi, praticamente cai na soleira de sua porta.

Convidando-a para entrar e, logo, para morar em seu pequeno apartamento, Boris encontra em Melody a ouvinte perfeita: ingênua com relação a tudo que a cerca ela ouve atentamente as lições do velho, chegando mesmo a repetir suas frases de efeito como a mais dedicada das alunas. Progressivamente sendo conquistado pelo jeitinho meigo da menina, Boris se deixa envolver, tanto quanto ela por sua suposta genialidade – na qual ela não consegue ver prepotência.

Os dois se dão muito bem, apesar da diferença de idades, gênios e tudo mais que se possa imaginar. Mas o mundo de ambos vira de cabeça pra baixo quando a mãe de Melody, Marietta (a sempre incrível Patrícia Clarkson), decide visitá-la com conceitos muito novos e revolucionários sobre a vida. Aceitando com cada vez mais facilidade o lema de que, no fim, qualquer coisa que der certo está de bom tamanho (a tradução que acho correta para o título original, Whatever Works), Boris apresenta uma evolução curiosa como personagem.

Ele deixa de ser o cara rabugento e ranzinza do começo do filme – mas nunca deixando de ser prepotente de uma maneira tão absurda que é até divertida – para, no fim, avisar aos espectadores que a chave para qualquer coisa é dar e receber amor e felicidade na maior quantidade possível – ou algo parecido que funcione para cada um. Divertido, engraçado e leve, leve, Tudo Pode Dar Certo é daqueles que se vê e revê sem medo de se cansar.

 Para combinar com meu café da manhã de maneira esplêndida! Pois tanto quanto o filme, esse é dos petiscos muito fáceis e rápidos de fazer, que podem ser provados, degustados e refeitos muitas vezes, de várias maneiras – com banana normal, com kiwi caramelizado etc. E por mais simples que pareça, é minha marca registrada, porque faço sempre, especialmente aos fins de semana.

BANANA CARAMELIZADA COM IOGURTE E GRANOLA

para 01 pessoa
Tempo de preparo: 10 minutos
Tempo de montagem: 2 minutos
Tempo total: 12 minutos

Ingredientes

2 bananas nanicas
2 colheres (sobremesa) de mel
1 colher (sobremesa) de manteiga
1 pote de iogurte grego sem açúcar
Granola, aveia e canela a gosto

Modo de preparo

Antes de mais nada, pique as bananas em rodelas. Em uma frigideira média, aqueça a manteiga a fogo médio até que comece a derreter. Incorpore o mel e as bananas e deixe caramelizar por 5 minutos, ou até que fique douradinha embaixo.

Vire as bananas e frite do outro lado também, outros 5 minutos. Retire do fogo, com cuidado para não puxar a calda junto (comi uma vez, achei que ficou meio enjoativo) e coloque em uma tigela grande. Acrescente o iogurte grego, a granola e a aveia (quanto quiser) e misture bem, até ficar uma gororoba, mesmo. Salpique canela por cima e sirva.

Beijos, e até o próximo post!
🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s