Fusilli com aspargos e tomatinhos | Donnie Brasco

O filme Donnie Brasco é baseado no livro de Joseph D. Pistone, um agente do FBI que foi encarregado de se infiltrar em uma das Cinco Famílias que dominavam a máfia ítalo-americana de Nova York na década de 60 para descobrir seus líderes. Donnie Brasco, pseudônimo que Pistone usou ao lado dos gângsters, fez um ótimo trabalho e desmascarou as operações da Família Bonanno – uma das maiores – e da Família Colombo. Embora, claro, a operação não tenha interrompido as atividades da Cosa Nostra, que segue firme e forte até hoje.

Mas a história de Pistone/Brasco é contada de maneira eficiente pelo diretor Mike Newell e pelo roteirista Paul Attanasio. O agente é introduzido a Benjamin “Lefty” Ruggiero e rapidamente faz amizade com ele, conseguindo, assim, um lugar à sombra de Sonny Black, líder de uma das facções. Quando Black se converte em um chefe, o grupo de Lefty e Brasco vira notícia, espalhando sua onda de terror por onde passa.

E embora o agente consiga juntar muitas evidências incriminatórias, é sua vida pessoal que sofre. Seu casamento vai caindo em frangalhos, já que ele não consegue sustentar a mentira para a mulher e precisa, o tempo todo, atender às demandas inadiáveis da famiglia. Para piorar, além de ter diante de si um dilema moral – pois o carinho que sente por Ruggiero é de fato verdadeiro –, a máfia suspeita que existe um delator entre eles. Se Pistone/Brasco abandona o caso antes do tempo, o primeiro e único punido será Ruggiero.

Portanto, lidando com a dupla identidade de Pistone, o filme consegue criar um clima que alterna bem entre o agradável, divertido e familiar e o tenso, problemático e explosivo. Embora criminosos, os mafiosos que estão ao redor de Pistone demonstram cuidar por sua própria moral e têm valores específicos – ainda que não condigam com o ambiente externo no qual vivem – além de ter um respeito sem limites para com suas famílias. Eventualmente, o plano todo é revelado, gerando incredulidade dentro da máfia, especialmente naquele que confiava mais em Donnie Brasco.

Interpretado por Johnny Depp (ótimo no papel, coisa que raramente acontece hoje) como um homem de valores, Pistone se deixa levar pela amizade com Ruggiero e se envolve mais na máfia do que ele próprio gostaria, se identificando com aquela gente afetuosa. Ruggiero, por sua vez, interpretado pelo sempre magnífico Al Pacino, é o típico homem que pega pesado quando deve, mas sabe honrar os homens que lhe são fieis.

O elenco também conta com o ótimo Michael Madsen como Sonny Black, e algumas participações estreladas, como a de Paul Giamatti, como um técnico do FBI, e Zeljko Ivanek como o mafioso Tim Curley. E eu já disse várias vezes aqui que filme de máfia combina com macarrão, então continuo honrando essa tradição secular. O prato que escolhi fazer foi parcialmente inventando. Já tinha visto várias receitas diferentes de macarrão com aspargos e, como nunca tinha comido uma com molho de tomate, decidi que o fusilli com aspargos e tomatinhos era a minha chance 😛

FUSILLI COM ASPARGOS E TOMATINHOS

para 02 pessoas
Tempo de preparo: 10 minutos
Tempo de cocção: 7-10 minutos
Tempo total: de 20 a 30 minutos, dependendo do seu ritmo

Ingredientes

250g de fusilli (ou parafuso)
1 lata/pote de molho de tomate
10 tomatinhos desse tipo – notem que não é o tomate-uva!
1 ramo inteiro de aspargos verdes
½ cebola
½ limão
3 raminhos de manjericão
queijo ralado a gosto
sal
azeite

Modo de preparo

Encha uma panela grande com ¾ de água, tempere com sal e leve ao fogo alto até ferver. Enquanto isso, separe os tomatinhos em um pote com água e deixe-os de molho por uns 5 minutos. Lave bem os aspargos e corte as pontas debaixo (que são mais brancas). Depois corte cada aspargo em quatro e separe. Corte ao meio cada tomatinho e separe. Aproveite para também lavar bem as folhas de manjericão, separando algumas para decorar.

Quando a água ferver, jogue o macarrão lá dentro e siga as instruções da caixa para ver o ponto – eu geralmente não olho, e vou provando até perceber que está al dente, ou seja, cozido mas um pouco durinho. Odeio macarrão mole. Enquanto isso, corte a cebola em pedaços bem pequenos e doure-a com um pouco de azeite em uma panela grande. Quando estiver já transparente, jogue os aspargos, tempere com sal e refogue bem (cerca de 7 minutos).

Depois, jogue os tomatinhos picados e deixe que estes também cozinhem até quase se desmancharem (mais uns 4 minutos). Jogue o molho de tomate, esprema a metade do limão e deixe ferver. Quando ferver, diminua o fogo para médio ou baixo – dependendo da potência do seu fogão – e acrescente o manjericão. Você já pode acrescentar, aqui, o queijo ralado, para derreter.

Quando o macarrão estiver pronto, escorra-o e jogue-o dentro da panela, misturando bem o molho com a massa. Sirva e decore com mais queijo ralado e manjericão. Coma imediatamente.

Pode não comer imediatamente, mas eu te desafio!

Beijos, e até o próximo post!
🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s