Bolo de doce de leite com calda de maracujá | Quase Famosos

A vida de trabalho é tão corrida que a gente mal tem tempo para respirar. Dias malucos no escritório, 8h por dia com a cara no computador, que quando chegamos em casa não temos paciência para mais nada, a não ser deitar no sofá e ficar vendo a TV passar. E eu, que agora tenho a melhor companhia do mundo em casa todos os dias, quero ficar o mais longe possível do computador quando não estou trabalhando. Mas sei que tenho um compromisso com o blog – e com meus leitores que, apesar de poucos, são muito queridos.

Cozinhar é sempre um prazer e, embora haja tão pouco tempo para fazê-lo, sempre que faço algo recebo elogios tão legais – tanto dos degustadores quando dos leitores – que me incentivam toda semana. E, embora os posts não saiam mais com a frequência de antes ou nos dias que eu me proponho a postar, eles saem! 🙂

E hoje vou falar de um filme que foi a sensação do verão de 2000. Dirigido por Cameron Crowe – um cara que fez pouco, mas do bom, como em Vanilla Sky – Quase Famosos é tanto uma ode à adolescência quanto um retrato vivo e explícito do que acontecia (e ainda acontece) nos bastidores dos shows de rock mundo afora. Sabe aquela história de que tem mulher se pendurando na janela para ver o ídolo, jogando calcinha no palco e causando polêmica? Ou de que as esposas dos rockstars são umas pentelhas? Tudo verdade.

O filme se passa no fim da década de 60, quando o rock ainda era uma coisa meio nova, e as pessoas tentavam conciliar o gênero com o “paz e amor” que surgiu na época. Conhecemos, portanto, o jovem William Miller (Patrick Fugirt), um garoto que aos 15 anos consegue realizar o sonho de qualquer moleque fã de bandas: ele é escalado pela revista Rolling Stone para acompanhar sua banda favorita, Stillwater, em uma turnê.

Com uma história que oscila entre o absurdo, o divertido e o realista, William encontra com pessoas ao longo do caminho que lhe ensinam sobre a vida adulta, que envolve saber conciliar amor, brigas, inveja, ciúmes e até mesmo um linguajar único. A princípio, William é tratado como o café-com-leite, o menino que está ali apenas para observar e aprender. Aos poucos, ele se insere na história de vida daquelas pessoas, se apaixona, briga e amadurece em frente às câmeras.

Além de contar com atores maravilhosos, como Billy Crudup (que está lindíssimo, fazendo jus ao papel de galã do rock), Phillip Seymour Hoffman (como o editor da revista), Frances McDormand (e outros nomes curiosos, como Zooey Deschanel (que orna), Anna Paquin (a primeira Vampira), Jimmy Fallon (sim, o apresentador) e Noah Taylor, o cara que corta a mão de Jamie Lannister em Game of Thrones – sabia que o conhecia de algum lugar! Ah, e também tem a Kate Hudson que, apesar de estar ótima no papel de Penny Lane, acabou ganhando uma fama bem indesejada alguns anos depois), ainda tem uma das trilhas sonoras mais fantásticas dos últimos tempos. Perdendo apenas para Pulp Fiction, A melhor.

Para combinar com o filme ou, melhor dizendo, com os personagens, me inspirei na própria trajetória vivida por William, que oscila entre a alegria e a decepção, o doce e o azedo de ser best de rockstars (falando assim, não parece tão ruim hehehe). Mas o bolo de doce de leite, docinho, combinado com a calda de maracujá, mais ácida, fazem uma combinação perfeita! Até pensei em fazer uma calda de coco em raspas, mas achei clichê demais.

Usei uma forma tipo bundt por pura estética, mas depois descobri que havia alguns truques a serem observados com esse tipo de forma que a receita não explicava direito. Aliás, ali manda colocar uma colher de sopa de baunilha! Fiquei tão traumatizada com os cookies que reduzi drasticamente. Acompanhem:

COMO DEVERIA TER FICADO: um bolo alto e fofinho, com bastante gosto de doce de leite e complementado pela calda de maracujá.

COMO FICOU: um bolo baixo, um pouquinho torrado nas beiradas (mas nada comprometedor) e bem macio. Complementado com perfeição pela calda de maracujá. Reitero: foi um dos bolos mais gostoso que já fiz!

BOLO DE DOCE DE LEITE COM CALDA DE MARACUJÁ

Tempo de preparo: 20 minutos
Tempo de forno: 30 minutos
Tempo total: 50 minutos

Ingredientes

Massa:

¾ xícara de manteiga – usei daquela em barras, sem sal
1 xícara de doce de leite
1 xícara de açúcar mascavo claro – aperte na xícara para medir
½ xícara de açúcar cristal
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1/8 colher (chá) de sal
½ colher (chá) de fermento
½ colher (chá) de canela

Calda:

1 xícara de polpa de maracujá – usei 2 maracujás grandes e 1 pequeno
½ xícara de água
110g de açúcar

Modo de preparo

Pré-aqueça o forno a 180º. Em uma panelinha, junte todos os ingredientes da calda e leve a fogo médio e mexa até dissolver o açúcar. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe por uns 10 minutos ou até engrossar um pouquinho. Reserve.

Na tigela da batedeira, comece batendo bem os açúcares e a manteiga, até que formem uma pasta – é essa batida que faz o bolo crescer. Depois, adicione o doce de leite até homogeneizar. Junte a baunilha e os ovos um a um, deixando bater bem a cada adição. Acrescente a farinha, o fermento, o sal e a canela e bata mais – o segredo do bolo é: quanto mais bate, mais fofo fica. Se precisar, raspe as laterais e o fundo com uma espátula e bata mais.

Transfira a massa para a forma untada – como a minha era de silicone, só untei com manteiga – e asse até que doure. Depende muito do tempo. O meu não durou mais do que meia hora. Por isso, faça sempre o teste do palito: se espetar e sair limpinho, pode tirar. Se sair gosmento, deixe mais um pouco, aumentando a potência do forno só para a parte de baixo, para não queimar em cima.

Retire do forno e deixe esfriar com-ple-ta-men-te na forma. Digo isso porque o meu ainda não estava totalmente frio e rachou um pedaço. Não dá pra ver nas fotos (ufa!) mas #chatiei. Como o bolo estará frio quando for colocar a calda, esquente-a só um pouquinho e espalhe por todo o bolo, sem medo de ser feliz.

Doce de leite com azedinho, caroço de maracujá docinho e bolo úmido. Sério, poucas coisas são melhores do que isso.

Beijos, e até o próximo post!
🙂

Receitas adaptadas (a do bolo e a da calda) do Technicolor Kitchen

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s