Mousse de chocolate | Cisne Negro

Carná passou, e o Mesa em Cena voltou para alegrar a timeline de vocês! Se bem que esse filme que falo hoje de alegre não tem nada. É um drama pesado, intenso e aflitivo – e o primeiro thriller psicológico que posto aqui. A história conta os bastidores de uma adaptação do famoso O Lago dos Cisnes, composto por Piotr Ilitch Tchaikovsky em 1877. A peça é um triângulo amoroso entre o príncipe Siegfried (herói da mitologia nórdica), Odette, princesa transformada em cisne pelo mago Rothbart, e Odile, a filha do mago.

Em uma complicada trama de paixões e traições – na qual Siegfried primeiro se apaixona pela princesa Oditte (o cisne branco) e, tentado a libertá-la, é enfeitiçado por Odile (o cisne negro). Um belíssimo conto, com uma trilha sonora digna, realmente, de reis. Baseando-se nessa premissa, o sempre competente diretor Darren Aronofsky – responsável por Réquiem Por Um Sonho e O Lutador – conta a mesma história do balé, transposta aos personagens de Nina, Lily e Thomas.

Nina, interpretada por Natalie Portman (que aqui aparece propositalmente esquelética), é escalada pelo diretor da peça, Thomas, para interpretar o cisne branco, pois sua graça e elegância são inquestionáveis. Contudo, ela não tem o necessário para fazer o papel do cisne negro, que necessita menos razão e lógica, e mais paixão e espontaneidade. No meio dos ensaios, uma nova dançarina, Lily, parece ter tudo aquilo que Nina não tem.

Ela começa a demonstrar a segurança e a sensualidade que a ingênua Nina tanto se esforça para ter. Como ocorre com a peça, Thomas se impressiona com Lily, e se “deixa enfeitiçar” por seu talento. Desesperada, Nina deve batalhar ao máximo para recuperar sua posição como favorita do diretor e poder representar o cisne negro.

Essa é a premissa básica. Mas Aronofsky, que é um excelente diretor, consegue carregar a história com um tom mais sombrio do que o ballet russo. Com falas sussurradas e submissas, de aspecto introvertido, usando roupas de tons claros, Nina, delicada e quase infantil, é a encarnação do cisne branco. Mas ela deve encarnar seu oposto, representado por Lily (Mila Kunis maravilhosa), para poder encarnar o cisne negro. Em evidente crise existencial, Nina deve, antes de mais nada, abandonar a ingenuidade (que pode ser vista também como a infância) para ser aceita no mundo cruel e adulto.

Com justaposições de imagens refletidas, contrastes entre o preto e o branco, alucinações e pequenos surtos da personagem, Aronofsky constrói uma narrativa tensa e bonita ao mesmo tempo. É doloroso acompanhar a trajetória de Nina e, quando ela finalmente se liberta, sentimos um mistura de compaixão e alívio. Sem contar que a música de Tchaikóvski (meu compositor favorito) pode ser ouvida do começo ao fim.

Apesar de ser angustiante, tudo em Cisne Negro me parece bonito. Assisti ao filme duas vezes no cinema, e assistirei sempre que estiver passando na televisão. A receita foi baseada no magnífico figurino de Nina como o cisne negro, com penas, bordados, miçangas e brilhos. Me recusei a fazer qualquer coisa que fosse essencialmente preta, porque comida preta me dá um pouco de aflição. Mas acho que a mousse de chocolate com confeitos representa bem.

Essa receita tirei do livro de uma cozinheira que amo, dona do blog La Receta de la Felicidad – mas essa só tem no livro Ela faz coisas simples ficarem maravilhosas, e essa receita da mousse ficou incrivelmente deliciosa. Como só usei chocolate amargo, não ficou enjoativa. E essa porção – num copinho de gelo – é ideal para matar a vontade de comer doce.

MOUSSE DE CHOCOLATE

rende 09 porções
Tempo do chocolate: no máximo 1 minuto
Tempo total: 50 minutos

Ingredientes

 2 latas de creme de leite
200g de açúcar
200g de chocolate negro ou amargo (usei da Garoto, que é o que tinha…)
1 pote de queijo Philadelphia
2 colheres (sopa) de chocolate em pó (pode ser do Padre, mas usei da Amma)

Modo de fazer

Leve ao fogo em uma panela média o creme de leite e o açúcar, e mexa até ferver. Retire em seguida e adicione o chocolate em pedaços (podem ser grandes). Vá mexendo até que o chocolate esteja completamente derretido.

Acrescente o Philadelphia e mexa até incorporar completamente. Complemente com o chocolate em pó, mexa mais e distribua em porções iguais. Escolhi potinhos de gelo (plástico), mas podem ser de qualquer tamanho. Leve ao freezer por uma hora para firmar e, depois, conserve na geladeira antes e depois de comer.

Fácil, rápido e irresistível. O perigo é de querer comer a porção dos outros 😛

Beijos, e até o próximo post!
🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s