Salada russa | Bonecas Russas

Como lidar com a pessoa que já começa o primeiro post da semana com um trocadilho sem graça? Não resisti, gente. O filme, Bonecas Russas, é obviamente passado nas frias terras eslavas, e tem como pano de fundo os incríveis cenários de Moscou. Só que esse filme é uma continuação. Novamente, resolvi inverter a ordem cronológica para dar mais importância à minha opinião. Isso é um blog, afinal de contas, e está permitido ser ditadora com as regras.

Mas a explicação faz sentido. Acompanhem. O que acontece nesse caso é que a continuação – como acontece muitas vezes – não é, para mim, tão incrível quanto a primeira parte, O Albergue Espanhol. Então quis deixar o mais legal para o fim da semana, combinando com o comecinho do carnaval, para já entrar no clima alegria total. Até rimou.

Sem dar muitos spoilers e estragar a surpresa, Bonecas Russas é um filme de 2005, dirigido por Cédric Klapisch, que conta a história de diversos personagens de países diferentes que se conheceram enquanto estavam de intercâmbio (ó lá eu já entregando os motivos do porquê amo tanto a primeira parte) e se reencontram cinco anos depois. O foco é em Xavier Rousseau que, ao completar 30 anos, se pergunta como deixou de lado um sonho para trabalhar com uma coisa totalmente diferente. Acontece.

A vida amorosa de Xavier também é um fiasco, principalmente porque ele é meio besta no relacionamento com as mulheres. Ele recebe, então, o convite de casamento de um dos amigos do intercâmbio, que vai celebrar a união na Rússia. Lá ele reencontra com toda aquela galera com quem teve experiências tão intensas. Todos mudaram muito, amadureceram, trabalham, tem relações complicadas com namorados(as) etc.

E é isso: o filme trata do relacionamento dessas pessoas, suas ansiedades, frustrações e pequenas vitórias. Obviamente a fascinação vem por conta da “ligação” que estabelecemos com eles na primeira parte, mas é muito interessante observar esses comportamentos tão característicos dos 20 e muitos. Sem contar que existe o tom de romantismo incurável, e o estilo de Klapisch de filmar (nesse caso) é muito legal, com uma fotografia meio dessaturada, um limiar entre o melancólico e o retrô.

Falando da iguaria que preparei para acompanhar, eis o segredo: a salada russa leva esse nome por causa da maionese, o ingrediente principal, porque remete à neve. Sim. O quão legal é isso? Ela também é muito popular em dois países: Polônia e Espanha. Aqui a gente chama só de maionese (e nem sabe o que vai, mas come mesmo assim), mas os espanhóis deixaram o nome em homenagem à neve eslava.

Decidi que essa seria a receita porque, como vocês sabem, tenho uma ligação especial com a Espanha, que começou com uma viagem que fiz para Barcelona em 2005 – não, não foi no mestrado. No mesmo dia em que voltei, assisti ao primeiro filme. Então, além do nome óbvio da salada, achei que seria uma maneira legal de homenagear meu segundo país de coração.

Mas o melhor é que essa salada pode levar quase tudo: camarão, kani, milho, enfim. Tudo o que você quiser e mais. Se quiser temperar com cebolinha ou pimentão vermelho, também vale. O importante é que ela fique colorida e bonita.

SALADA RUSSA

para 03 pessoas
Tempo de preparo: 45 minutos

Ingredientes

3 batatas
2 cenouras
1 lata de atum
1 lata de ervilha
4 colheres (sopa) de maionese
1 ovo
sal

Modo de preparo

Descasque as cenouras e batatas e corte-as pela metade. Coloque água e sal em uma panela e leve ao fogo até ferver. Adicione as cenouras e deixe cozinhar por 10 minutos. Depois, acrescente as batatas, e deixe por mais 20 minutos. Escorra os legumes e deixe esfriar completamente (pode guardar na geladeira, como eu fiz).

Enquanto isso, cozinhe um ovo – por cerca de 12 minutos. Descasque e reserve. Quando os legumes estiverem frios, corte-os em pedaços pequenos e coloque em um pote. Acrescente as ervilhas, tirando totalmente a água da lata, e o atum, sem azeite. Adicione a maionese e acrescente sal, se quiser. Misture tudo com gentileza para não destruir.

Para decorar, espicace o ovo com as mãos (ou da maneira que preferir) por cima da salada e sirva.

Beijos, e até o próximo post!
🙂

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:12.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-language:EN-US;}

Anúncios

2 comentários sobre “Salada russa | Bonecas Russas

  1. Adorei o post, M! Outro dia fiquei com vontade de assistir O Albergue Espanhol de novo. Os dois filmes so muito bons e putz, a melhor palavra para descrever Xavier e seus relacionamentos mesmo "besta" hahaha. J assistiu o ltimo, Casse-tte Chinois? E gosto muito de saladinhas assim, fceis e que podem levar de tudo um pouco. Bjo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s