Torta de chocolate com morangos | As Pontes de Madison

Todo mundo tá cansado de saber ou de ouvir falar como a Meryl Streep é incrível, maravilhosa, a melhor atriz de todos os tempos. Bem, obviamente não foi à toa que ela ganhou esses epítetos. Ela realmente é uma das melhores no que faz, colocando carga emocional suficiente para te fazer amar, odiar, querer matar ou chorar junto com seus personagens. E esse, de longe, é um de seus filmes mais emocionantes.

Agora, quem acompanha a carreira de Clint Eastwood como diretor sabe que ele tende ao sentimentalismo – às vezes barato, mas nem sempre! Em As Pontes de Madison, o limiar entre o cafona e o belo é um fio de cabelo. Felizmente, o filme não chega nem perto de ser brega ou de evocar sentimentos desconfortáveis de vergonha alheia – a não ser por você mesmo que, se sensível, tem probabilidade de chorar demais.

A história começa com dois irmãos, Annie e Victor, limpando e se desfazendo de coisas antigas depois da morte de sua mãe, Francesca. Eles se deparam com um baú fechado que continha três diários e objetos que mudam suas vidas. São histórias e lembranças de um romance que a mãe teve no passado. Assim, saltamos no tempo e vamos ao pacato condado de Madison, onde vive a feliz dona de casa Francesca Johnson na década de 60. Casada com Richard, um homem bom e tranquilo, a vida de Francesca se resume em cuidar da casa e dos filhos.

No verão de 1965, Richard e as crianças decidem passar alguns dias do verão em outra cidade, deixando a pobre Francesca sozinha em casa. Acontece que, naquela mesma época, o fotógrafo bonitão (sim, ele ainda era) Robert Kincaid estava de passagem por Iowa, e pede a Francesca por direções até a ponte Roseman. Ela hesita em acompanhar o estranho, mas acaba concordando. Enquanto passeiam, ela conta de sua vida e os dois criam um laço inquebrantável.

Uma paixão agridoce floresce desce breve encontro, transformando completamente a vida de ambos e colocando Francesca em um terrível dilema. Deveria ela abandonar seu lar e família para viver com este homem a quem ela ama desesperadamente? Robert representa para ela tudo o que ela poderia ter sido e não foi. Sua frustração reflete, também, a vida de uma dona-de-casa conformada com a vida que lhe apareceu. O que vocês fariam, se a felicidade de suas vidas dependesse disso? Quem não gostaria, afinal, de viver a intensidade de um romance como esse, que parece saído de um conto-de-fadas?

Bem, essa é a premissa do filme. E digo que ele não seria metade do que é não fosse pelas atuações magníficas de Streep e Eastwood. Belíssimo, emocionante e completamente verossímil – embora devo admitir que casos assim sejam raros –, é um filme must-see para todos que gostam de Cinema.

Para acompanhar e chorar junto, decidi que a receita seria uma coisa que uma típica mãe americana gosta de fazer: tortas. Claro, não são só as americanas, mas rola um estereótipo, especialmente com as mães. E, óbvio, com uma sinopse dramática como essa, não dá para colocar nada além de: muito chocolate. Por isso, essa torta de chocolate com morangos é perfeita.

Agora, como disse no post anterior, minha semana na cozinha não foi das melhores. Achei que a massa não tinha dado certo – apesar de ter assado bem e ficado muito gostosa –, o recheio teve de ser reformulado. Como não tenho uma balança digital, resolvi improvisar no ganache e, bom, não deu certo: coloquei leite demais. Mas, graças à sábia mamãe (que é uma melhor cozinheira do que ela mesma jamais admitirá), consegui reverter a situação e fazer um recheio que ficou, modéstia à parte, digno de docerias – o que só reforça o que disse acima sobre a mamãe Meryl. Enfim. Com as medidas que ponho abaixo, pese na balança e siga-as à risca que não tem erro.

TORTA DE CHOCOLATE COM MORANGOS

Tempo de preparo: 20 minutos
Tempo de crescimento da massa: 30 minutos
Tempo do ganache: 15 minutos

Tempo de forno: 20 minutos
Tempo total: 1h25

Ingredientes

Massa:

400g de farinha
187,5g de açúcar
187,5g de manteiga
1 ovo
1 colher (chá) de baunilha

Recheio:

300g de chocolate meio amargo (usei um Garoto mesmo, que era o que tinha no mercado…)
120g de leite
40g de creme de leite
50g de manteiga
morangos para decorar

Modo de fazer

Misture todos os ingredientes da massa começando pelos secos. Adicione, depois, o ovo e a manteiga, e vá mexendo com a ponta dos dedos até ficar homogêneo. Já disse na receita das tortinhas de maçã que se ficar muito pegajoso, só colocar mais farinha e, se ficar muito seco, mais manteiga. Faça uma bolota com a massa e guarde-a num saco plástico na geladeira por pelo menos meia hora.

Depois, volte para a cozinha e pré-aqueça o forno a 180º. Em uma panela, misture o leite e o creme de leite e leve ao fogo só até começar a ferver. Coloque o chocolate e mexa até formar um creme. Adicione a manteiga, para dar brilho. Quanto mais quente estiver, mais líquida. Por isso, se quiser, pode colocar na geladeira enquanto assa a massa.

Abra a massa em uma base enfarinhada e, com muitíssimo cuidado, coloque-a na forma. Se a massa estiver muito quebradiça, será difícil mas não impossível. Vá colocando aos poucos, embora não seja o ideal (mas foi o que fiz, então..). Leve ao forno até dourar. Quando estiver pronta, retire do forno e deixe esfriar antes de desenformar.

Enquanto isso, lave e limpe os morangos. Depois, desenforme a massa e cubra com o chocolate. Decore com quantos morangos quiser e leve à geladeira para firmar.

Beijos, e até o próximo post!
🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s