Bombom de framboesa | O Amor Não Tira Férias

Se existe um gênero de filme que é controverso é o de comédias românticas. Primeiro porque ele não se define como um gênero concreto – não é nem romance e nem comédia: é uma mistura de ambos que pode dar muito, muito errado. Exemplos não faltam para citar aqui, então vou pular essa parte para comentar a boa safra de comédias bobinhas e gostosas, que fazem a gente sorrir, chorar e se emocionar com os personagens. Porque, querendo ou não, isso independe do gênero do filme, mas tem tudo a ver com a condução do diretor de um roteiro bom. É o caso de O Amor Não Tira Férias, um dos meus favoritos na categoria.

Por quê? Poderia dizer em apenas duas palavras: Jude Law. Mas posso comentar um pouco mais. Vi esse filme pela primeira vez em 2009, num desses casos de “domingo a noite”. Não bastasse ter um elenco excelente (até a Cameron Diaz passou no teste), o roteiro da também diretora Nancy Meyers é simples e ao mesmo tempo muito envolvente. E o Jude Law está maravilhoso, de cair o queixo.

A história é sobre duas mulheres: uma americana, Amanda (Diaz), e uma inglesa, Iris (a sempre linda Kate Winslet). Enquanto Amanda vive uma vida atribulada de mulher bem-sucedida na carreira mas um fiasco no romance, Iris mora num delicioso casebre no interior, e é iludida por um homem casado (Rufus Sewell, gato), por quem é apaixonada. Pela internet – e sem se conhecer – as duas decidem trocar de casas para passar as férias.

Na Inglaterra, apesar de sofrer com a solidão no começo, Amanda acaba conhecendo o charmoso irmão de Iris, Graham (hey, Jude…!). E em Los Angeles, Iris conhece um vizinho adorável, Arthur Abbot – interpretado pelo magnífico Eli Wallach, um dos astros de O Bom, O Mau e o Feio, de Sergio Leone – e Miles, um companheiro de trabalho de Amanda.

Desnecessário dizer que entre Amanda, Graham, Iris e Miles rola um affair, e os quatro criam um quadrado amoroso bem divertido – quase o oposto daquilo que acontece em Closer. Enquanto estão em terras alheias, Amanda e Iris vão aprender que a distância de casa faz bem, que conhecer um homem na gringa é a melhor coisa do mundo (ey, beibicito 😉 <3) e, principalmente, que a distância dos problemas é a chave para sua solução. Verossímil, positivo e romântico… como não gostar de um filme assim?

E embora pareça extremamente clichê, não resisto à ideia de assistir a um filme como esse com uma panela de brigadeiro recém-feito ou de uma caixa de bombons à minha disposição, para comer sem culpa alguma enquanto derramo umas lagriminhas felizes (ai, mulheres!). Por isso, decidi que iria fazer meus próprios bombons recheados em forminhas recém-compradas. Porque nada como estrear formas divertidas com chocolate. O recheio era para ser morangos mas, na falta, foram framboesas, mesmo. Mas digo que o resultado não poderia ter sido mais gostoso!

De qualquer jeito, o bom de fazer seus próprios bombons – que nada mais são do que várias barras de chocolates diferentes derretidas – é o de poder escolher a forma de sua preferência. Dá para fazer em formas de gelo normais, e o resultado são bombons grandes e que satisfazem (mentira). Eu poderia ter feito, também, em formas menorzinhas, caso quisesse que rendesse mais.

BOMBOM DE FRAMBOESA

rende em média 25 bombons
Tempo do chocolate: no máximo 1 minuto
Tempo de montagem: 30 minutos
Tempo de esfriamento: 20 minutos
Tempo total: 50 minutos

Ingredientes

2 barras de chocolate meio amargo – usei Nestlé
2 barras de chocolate ao leite – usei Nestlé e Hershey’s
1 barra de chocolate amargo (mais de 50% de cacau) – usei Lindt 70%
100g de framboesas frescas

Modo de preparo

Separe um pote de vidro grande e assegure-se de que está completamente limpo e seco. Lave as frutas e corte-as pela metade. Corte as barras em pedaços (pode ser o delimitado pela própria barra) e coloque no pote.

Leve ao micro-ondas de 30 em 30 segundos até que o chocolate comece a derreter. Vá mexendo com uma colher de pau a cada turno, até que sobrem alguns pedaços de chocolate. Termine de derreter mexendo bem.

Separe as forminhas que queira utilizar e comece colocando uma camada fina de chocolate. Ponha a fruta e cubra-a com mais uma camada. Repita em todos os buracos da forma e leve à geladeira por 20 minutos. Você saberá que está no ponto quando conseguir tirar da forma sem destruir nenhum bombom.

Retire da forma e coloque os bombons em um suporte coberto com papel manteiga. Eles estão prontos, mas se estiver fazendo tanto calor como esses dias em São Paulo, deixe na geladeira até acabarem (suponho que um dia no máximo). E mesmo que estejam esbranquiçados do frio da geladeira, ainda estarão bons para comer – true story.

É isso! Quem tiver formas desse tipo – de limões, como a minha, caveira, R2D2, maçã etc – pode brincar com as figuras e fazer bombons divertidos, inclusive para vender. Fica a dica, quero royalties.

Beijos, e até o próximo post!
🙂

Anúncios

Um comentário sobre “Bombom de framboesa | O Amor Não Tira Férias

  1. Querida Mara, achei o blog! Amei a delicadeza do layout e o seu jeitinho de escrever. No sei qual a sua empolgao para fazer bombons, mas se quiser, podemos comear com esses aqui. Um beijo grande! Luiza (do Caf, da Ana, da Festa…;-) )

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s