Cookies-brownies | Wall•E

Quase todo mundo que eu conheço não só viu WallE como achou um dos desenhos mais sensíveis e bonitos da Pixar. Curiosamente, é também um dos mais subestimados pela crítica, já que pouco se menciona os robozinhos do futuro quando citamos o gênio criativo do estúdio, em suas tão perfeitas produções – como Monstros S.A., Procurando Nemo, a trilogia Toy Story e Ratatouille, clássicos absolutos das animações.

Mas Wall•E é, tanto quanto os filmes mencionados acima, digno de todos os créditos que atribuímos aos trabalhos bem feitos da Pixar – e que parecem ter perdido o rumo das boas histórias, com os recentes e (somente) bons Brave e Universidade Monstros. Bem, dito isso, preciso dizer que, apesar de meio esquecida, é uma das minhas animações favoritas. É uma história quase clichê de amor, que seria piegas e insuportável não fosse pelo contexto histórico bolado para inserir os personagens e, claro, os próprios robôs adoráveis que fazem parte da trama: Wall•E e Eve.

Em um futuro distante e muito plausível, a humanidade emporcalhou tanto a Terra com o lixo da maior multinacional do planeta, a Buy N’ Large, que impossibilitou nossa sobrevivência. Forçados a mudar para uma estação espacial “provisória”, o único ser que permanece aqui é o robozinho Wall•E – um coletor de lixo que foi deixado para, literalmente, tentar colocar ordem na casa – e sua melhor amiga, uma baratinha. Um dia, a robô Eve é enviada para verificar se ainda existe vida na Terra, quando os dois se conhecem, e daí provém toda a experiência fantástica do enredo.

A beleza do filme consiste em que não há um diálogo sequer entre os dois robôs. E, apesar de retratado com caídos olhos tristes, Wall•E é um robô amável e carinhoso que, apaixonado pela supertecnológica Eve, faz de tudo para estar ao seu lado. É uma história incrível não só de amor, mas sobre os próprios seres humanos – afinal, não éramos nós os únicos capazes de amar? Além de haver uma crítica ferrenha à sociedade e seu modo de vida consumista, especialmente dos recursos do planeta.

Para combinar com um suposto filme pastelão – não é, juro! – e ficar suspirando com as fofuras dos dois personagens, me sinto quase na obrigação de comer qualquer coisa que tenha chocolate. Não por nada, mas é que romance combina com chocolate, e eu combino com chocolate, então… por que não?

A receita desses cookies-brownies vieram do Technicolor Kitchen, um blog delicioso de receitas, de onde aprendi a fazer muffins. A massa é bem simples de fazer mas, como podem ver pelas fotos a seguir, os cookies ficaram gigantescos. Já fiz cookies mais de uma vez e eles sempre ficam gigantescos. A Patrícia, do blog, me explicou porque isso acontece: manteiga muito derretida ou fogo muito alto. Ambas as coisas, então, fazem com que o cookie esparrame na forma, mesmo tendo feito bolinhas superpequenas de massa.

De qualquer maneira, recentemente aprendi outro truque fundamental para fazer cookies e que é imprescindível: antes de assar a massa, deixe que ela descanse por várias horas na geladeira. Quanto mais tempo, mais crocantes e puxa-puxa eles ficam. Como não sou tão fã do estilo “caramelo” de cookies, acho que o ideal é deixar pelo menos 4h. É difícil, eu sei, mas pelo menos nós brasileiros não temos o incomum costume de comer massa de cookie crua, como os americanos fazem tão frequentemente.

COOKIES-BROWNIES

rende 10-12 cookies
Tempo de preparo: 15 minutos
Tempo de espera: mínimo de 1h
Tempo de forno: 10-15 minutos
Tempo total: por volta de 2h, incluindo a hora de descanso da massa

Ingredientes

1 e 1/3 xícara de chocolate amargo picadinho
2 colheres (sopa) de manteiga sem sal à temperatura ambiente (e não derretida!)
2 ovos
2/3 xícara de açúcar
½ colher (chá) de baunilha
¼ colher (chá) de fermento
¼ xícara de farinha de trigo
1 xícara de chocolate em gotas ou pedaços (sim, separado dos outros)

Modo de preparo

Derreta 1 e 1/3 de chocolate com a manteiga em uma panela pequena em fogo baixinho, mexendo para não queimar. Quando estiver derretido (não deixe ferver!), retire do fogo e deixe esfriar por 5 minutos.

Enquanto isso, em uma tigelinha, peneire a farinha e o fermento (vai por mim, peneira! Faz toda a diferença, porque não deixa a massa com grumos estranhos). Em outra tigela média, misture bem os ovos, a baunilha e o açúcar. Adicione o chocolate derretido à mistura de ovos e misture aos poucos. Acrescente os ingredientes secos e mexa, sem muita força, só até incorporar. Adicione a xícara de chocolate restante.

Coloque pequenas porções de massa em uma assadeira de bordas baixas, forrada com papel manteiga (muita gente usa colheres de sorvete, mas eu usei colher de sopa, mesmo) e leve para a geladeira por pelo menos 4 horas. Quando não estiver mais aguentando de vontade, pré-aqueça o forno a 180º por alguns minutos. Retire as assadeiras da geladeira e coloque no forno, deixando assar até a massa se tornar opaca (entre 10 e 15 minutos, dependendo do forno).

Retire do forno e deixe esfriar completamente antes de tirar das formas – os cookies ficarão muito molenguinhas e, depois de tirados do forno, continuam cozinhando um pouquinho; se tentar tirar ainda quente, vai destruir tudo.

É fácil e fica delicioso! Tem um crocante, misturado com pedaços de chocolate que realmente lembram o brownie! Aprovado e recomendado.

Quer tentar? Faz e me conta como ficou!

Beijos, e até o próximo post!
🙂

Receita via Technicolor Kitchen

Anúncios

2 comentários sobre “Cookies-brownies | Wall•E

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s